As principais indicações da algoterapia

As algas marinhas exercem uma ação tonificante, reconstituinte e recalcificante e, devido aos compostos presentes em suas células, contribuem para modificar o quadro biológico do indivíduo.

Destacamos aqui as indicações gerais da algoterapia para destacar a sua importância no tratamento de afecções crônicas.

 

As algas e o reumatismo

A algoterapia constitui uma valiosa terapia para o reumatismo.


A riqueza das algas em flúor e em iodo explica a ação benéfica delas sobre os tendões e ligamentos. Ao longo da evolução do reumatismo eles perdem flexibilidade e elasticidade e o corpo é acometido de uma dolorosa sensação de rigidez, mas acentuada ao levantar pela manhã.

As algas contém sais minerais e elementos como o manganês que agem restituindo ao organismo os princípios essenciais que lhe faltam.

 

As algas e as varizes e celulites

A diminuição do fluxo sanguíneo, agravado por uma dilatação e um enfraquecimento da parede venosa, provoca a formação de varizes que não são apenas feias esteticamente, mas também dolorosas.

Além disso, a diminuição do fluxo sanguíneo pode indiretamente atingir os vasos linfáticos e uma consequência disso será o aparecimento de celulite por infiltração dos tecidos subcutâneos.

A algoterapia, sob a forma de banhos, permite liberar todos os princípios ionizantes, os minerais, as vitaminas e os oligoelementos que agem diretamente através da pele sobre a tonicidade dos capilares, aumentando o fluxo sanguíneo, diminuindo a chance do aparecimento de varizes e celulite.



 

As algas e o excesso de peso e a celulite

Nos casos de excesso de peso decorrentes de distúrbios metabólicos nas glândulas endócrinas, o iodo presente abundantemente nas algas, terá uma ação estimuladora no funcionamento da tireoide.

Além disso, o iodo presente nas algas está associado ao manganês que é um elemento essencial no metabolismo da glicose e das gorduras.

No caso de excesso de peso por uma alimentação exagerada, as algas agirão como reguladoras do sistema nervoso através de sua rica composição em brometos. Além disso, por serem ricas em fibras e com poucas calorias, as algas saciam sem engordar.

No caso da celulite, a ação das algas marinhas dá-se através dos elementos naturais nelas contidos (principalmente o potássio) que favorecem o aumento do fluxo urinário; o zinco e o níquel agem no mesmo sentido mas sem apresentar os inconveniente dos diuréticos sintéticos.

 

As algas e a fadiga

Um dos grandes males do mundo moderno, a fadiga tem componentes psíquicos e se reflete física, intelectual e moralmente no indivíduo. Ela provoca uma intoxicação do organismo com consequências que repercutem em vários órgãos como fígado e rins, por exemplo.

Ela pode ser tratada com um produto natural que, sem os inconvenientes e perigos das drogas artificiais, auxiliará no restabelecimento das funções metabólicas naturais e na desintoxicação do organismo.

Os compostos presentes nas algas – sais minerais, aminoácidos, vitaminas, oligoelementos – auxiliarão em pacientes de metabolismo lento o desenvolvimento tanto de uma ação sedativa quanto fortificante.



 

As algas e o rejuvenescimento

O envelhecimento é um fato da vida. Trata-se de um processo involuntário que afeta o organismo como um todo e, particularmente, os órgãos e sistemas encarregados das funções metabólicas, resultando em uma maior fragilidade do organismo senil.

Um dos meios de lutar contra o envelhecimento consiste em restituir às células do corpo os elementos que lhes faltam e que são encontrados em abundância nas algas.

A aplicação do pó diluído das algas em um banho quente permite uma melhor irrigação vascular, ativando a circulação sanguínea até os tecidos mais profundos. Assim o organismo recuperará a atividade funcional normal do seu tecido conjuntivo e será capaz de lutar contra o processo de envelhecimento em geral.

 

As algas e o combate ao câncer e as inflamações

Há bastante tempo foi observado que as mulheres japonesas têm menor incidência de câncer de ovário, mama e do endométrio. Atribui-se essa menor incidência a uma dieta rica em algas.

E, na verdade, estudos apontaram que o fucoidan, um composto presente nas algas marinhas, induz a morte de células cancerosas além de ser um poderoso anti-inflamatório.