Perfume feminino x perfume masculino

Na origem da perfumaria não havia separação entre fragrâncias masculinas e femininas. No entanto, com a popularização do perfume graças ao progresso da indústria química no século XIX, os fabricantes de perfume viram na separação dos gêneros uma oportunidade comercial: poderiam vender 2 frascos ao invés de um.

Além disso, o surgimento das lojas de departamento gerou competição entre as marcas ao reunir diversas delas no mesmo espaço, criando uma necessidade de direcionamento – a separação entre os sexos foi a mais evidente e todos entendiam.

A partir daí os perfumes masculinos foram associados a higiene e limpeza, sendo leves e frescos, quase sempre cítricos. Já os femininos foram associados a beleza e vaidade (cosméticos), podendo ser mais marcantes e concentrados, levando essências mais caras e preciosas em sua composição.

Essa divisão está mudando um pouco com o aparecimento do “metrossexual” levando ao aparecimento dos perfumes unissex ou compartilháveis. Cada vez mais homens usam fragrâncias florais e opulentas e mulheres fragrâncias amadeiradas e secas.

 

Voltar para Perfume: um guia para acertar sempre

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: